19 de nov de 2010 2 comentários

O jardim e os muros






Era uma noite fria e solitária na fortaleza que se tornara o coração do Arcanjo. Há tempos em que sua fortaleza estava abandonada, e o Arcanjo observava da janela do alto de uma das torres. "Acho que consegui realizar um bom trabalho com essas muralhas. Realmente impenetráveis." Mesmo depois da queda livre, ainda dava pra perceber claramente os danos causados por sua queda livre, quando o falso anjo que o levou ao mais alto dos céus e o abandonou numa queda vertiginosa.
"Desde que conheci o Anderson, e que ergui esta fortaleza sequer houveram cercos... Mas sei que essas muralhas encontram-se fortes. Só existe um general neste momento que eu permitiria atravessar os portões dessa fortaleza. Mas é dificil prever seus movimentos. Sei que o Jonas já demonstrou interesse nesse território, mas como prever seus movimentos? Quais suas verdadeiras intenções?"


Vagando pelos aposentos de sua fortaleza emocional, decidiu procurar seu diário. Releu várias páginas, e com isso teve convicção de que suas muralhas estavam mais fortes do que nunca estiveram. "É Arcanjo... Depois de tudo que você passou com o Reinaldo, depois dele te deixar cair em queda livre, e mesmo assim ainda conseguiu causar danos em seu coração, mesmo sem ultrapassar as muralhas, conseguiste desenvolver uma defesa excelente. Tudo que passou antes ajudou a erguer essas paredes... Mesmo que cada decepção fosse apenas um tijolo, esses tijolos juntos formaram uma parede."
E debaixo de seu diario, encontrou entre as pilhas de cartas de amigos que mesmo distantes, e sem ao menos conhecê-los sabia que podia contar com eles. A mesma distância nesse momento impedia um forte candidato a invasão dessas paredes também mantinha ausentes amizades de que poderiam lhe fazer extremamente bem. E dentre essas correspondências, uma em especial lhe chamou a atenção, pois um grande amigo de quem partilhou suas dores. "(...) Sei que se esforçou muito pra construir essas muralhas, Arcanjo. Mas tenho certeza de que por detrás desses muros, existe um belo jardim... esperando apenas pra ser cuidado. E aquele que conseguir transpor essa fortaleza, com certeza vai ser um cara que vai ser muito feliz!"
******************************************
Dedicando esse post ao meu amigo Max, que graças a uma única frase, me inspirou a escrever essa postagem.
Sim... eu to me esforçando pra me tornar uma pessoa mais racional, mas que por mais que meu coração esteja nesse momento meio "sombrio" bem no fundo vai permanecer o meu lado bom.
3 de nov de 2010 0 comentários

Mudanças

Um entediante feriado chuvoso, e o rapaz conhecido por Arcanjo Misterioso finalmente consegue encontrar um pouco de inspiração e do meio da poeira procura novamente seu diário e procura uma forma de que encontre as palavras perfeitas pra expressar seus sentimentos. Fica um pouco apreensivo, pois dificilmente conseguirá transcrever de forma resumida todos os acontecimentos desses ultimos meses, que o levaram a sua atual circunstância.´Decidiu que posteriormente iria encontrar inspiração, e as palavras exatas pra poder se expressar. Que, por hora, focaria em narrar a paisagem atual que sua vida apresentava diante de si.

Na ultima discussão com seu ex namorado, não sabe o que o impediu de não arrebentar a cara do Reinaldo. "Tudo bem Arcanjo, vocês terminaram. Mas isso não dá o direito do Reinaldo usar a sua cama pra passar a noite com outro cara. É muita cara de pau!" Mesmo quase sucumbindo a vontade de partir pra agressão física depois de muitas ofensas naquela manhã de sábado em que teve de passar a noite na sala em um colchão inflável enquando seu ex namorado usufruia da cama box de casal que na época comprara pra dormirem juntos. "TÁ BOM REINALDO EU POSSO SER UM DESLEIXADO, POSSO SER INFLUENCIAVEL, OU ATÉ MESMO FRACO, MAS ESSAS CONDIÇÕES EU POSSO ME ESFORÇAR PRA MUDAR, DIFERENTE DE VOCÊ E DO SEU CARÁTER!" Gritava o Arcanjo na cozinha que logo em seguida reinava o silêncio. Arrastou sua cama box para a sala junto com o colchão e os demais pertences que ainda estavam no quarto. "Definitivamente Arcanjo: a maior burrada da sua vida foi achar que daria certo continuar morando nessa casa depois de terem terminado."

Depois dessa não restava mais nenhum sentimento bom com relação ao Reinaldo. Apenas ressentimento, ódio, ou quem sabe, pena.

Curiosamente os deuses do acaso fizeram com que essa discussão tivesse ocorrido uma semana antes de sair de férias. Aguentou firme essa semana que parecia durar uma eternidade. Essas férias serviriam como um refugio. Um mês pra recuperar as forças, e voltar totalmente revigorado pras batalhas que estavam por vir.

Um mês que passou extremamente rápido, mas foi sem duvida as melhores férias que já tivera em toda sua vida. Aproveitou a companhia de sua familia, curtiu bastante seus verdadeiros amigos, se permitiu desfrutar de uns dias de diversão na capital paulista, e acompanhou ansioso os ultimos momentos de gestação de sua afilhada (e se sentiu se como uma criança, de tão comovido ao carregar aquela pequena princesa). "Seja bem vinda ao mundo dos vivos, pequena! Aqui pode não ser tão gentil e acolhedor como na barriga da sua mãe, mas pode ter certeza de que tem muitas pessoas que vão te amar muito!" - pensou quando sua amiga Lê colocou ela em seus braços.

Mas infelizmente algumas batalhas podem até ser adiadas mas nao podem ser evitadas. Estava na hora de retornar ao tabuleiro do jogo da vida, em que os movimentos das peças não lhe são muito favoráveis. Então, mesmo ainda ferido era hora de recolocar sua armadura e enfrentar os novos desafios.
"Lembre-se Arcanjo, o mundo não para. Mesmo com algumas feridas que ainda não foram cicatrizadas completamente, prepare-se. Esses ultimos capítulos podem não ter sido tão bons contigo, mas sei que é possivel começar um capítulo novo... e capítulos ainda melhores do que qualquer um que já escreveste. E tenho certeza, Arcanjo: cada vez mais você vai se superar na arte de escrever a história de sua vida!"
 
;